Memories

"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."

Para minha filha Mayara:

Published by 「ϻȝƚɋɣαɦȡ 」 under on 20:44:00



Uma moça eu conheci que do real abstém-se para no vasto universo do sonhar adentrar;
Jovial, alegre e de presença extasiante,
Faz-me de, dum Tchaikovsky a suave melodia, sempiterno amante:
Romeu e Julieta no esquife reviram-se à de sua sensibilidade o vibrar,

Em notas que uma monocromática escala elas formam.
Desta agradável moça tornei-me amigo,
E desde então em meu coração a carrego comigo;
Por vezes, seus olhos magoados se tornam

- Sempre belos, no entanto!
E se se permite desfalecer em lúgubre pranto,
Desejo eu num abraço devolver-lhe do júbilo o encanto.

{...}

Dança ao luar, abraçada aos ventos,
Sente do amar os ternos acalentos;
Em seu peito habita os sentimentos mais meigamente opulentos.

E pelos campos do imaginar,
Solitária – minto: pela vida embalada -, vaga...
Passa suas delicadas mãos pelas mais belas flores...

Dos mais suaves aromas constitui-se sua essência; amar!
Sentimento este que cura a mais cruenta chaga...
Envolve-se ela na mais bela dedicação de todos os amores.

Um místico ser de Luz, tradução da esperança.


5 ϻĭņđʼƨ:

「ϻȝƚɋɣαɦȡ 」 disse... @ 31 de agosto de 2008 às 20:49

Espero que gostes, apesar de em todo o poema pecar... ^^"
Uma sincera dedicatória, querida filha.

May disse... @ 31 de agosto de 2008 às 21:03

;_;
Pai, sinceramente, eu estou sem palavras.
Acho que se eu dissesse que me sinto honrada e lisonjeada, alegre ou revigorada, seria pequeno demais para descrever o que eu sinto nesse momento.
Essa é a surpresa mais deliciosamente indescritível que eu recebi...
Como eu vou poder agradecer?
Posso tentar fazê-lo ao te amar incondicionalmente? :)
Muito, muuuuuuito obrigada... Você é mais do que especial para mim. É uma parte indispensável para o curso harmônico da minha vida.
Te amo muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito mesmo, tá?
Para sempre, e sempre mais!
(L)²

Tay disse... @ 1 de setembro de 2008 às 11:03

Bonito, mas sinceramente?
ando sem saco pra poesias e rodeios, acho que é por isso que ando tão simpática por Drummond.

Aaaaaaaaah, mas é praticamente um plágio u.u
Eu quero meus direitos autorais pagos com urgência!
HEHEHHAEHEHAHEHAEUHAE
É, como a moça disse, não é fácil.
Mas tentar é preciso!
Desistir é entregar os pontos, preferir lamentar-se é fazer papel de imbecil. Nós temos a chave para melhorar nossas vidas e cabe a nós usá-las. Recaídas, claro, desânimo sempre bate. Mas lembrar da sensação quase que inefável de se sentir feliz é um incentivo.
A gente sempre, mesmo que insconcientemente (e não admitir é ser falho em auto-crítica) se sente bem parecendo infeliz. Esses tempo atrás cheguei animada na escola, Michelle olhou pra mim e falou:
- Nossa Taimã, como você fica bonita animada, fica sempre assim!
Daí senti que estar de bem com a vida chama mais atenção, intriga mais, do que viver num poço de melancolia.
Preciso escrever sobre isso, OMG.
@-@

Enfim, carpe diem!

;*

PsYcO disse... @ 5 de setembro de 2008 às 15:34

Olá meu amigo...
Agora eu estou a vagar por aqui também...
Vou deixar aquele flogão lá entregue as moscas...
bom... Acho que de vez em quando eu passarei por lá... ^^
Bom, se ainda não me reconheceu...
¬¬' Mas como podia? Eu nem deu uma boa dica...
Eu sou o psicodelicomorbido... hehehe
Add você lá na minha lista de favoritos...
Espero que não se importe...
Ainda continua escrevendo muito bem...
Sempre serás um bardo. ^^
Até um dia meu amigo!

Lia disse... @ 10 de setembro de 2008 às 19:31

Lindo demais
Ela é linda demais *-*

Enviar um comentário